top of page

Novo tratamento para DMRI - Vabysmo

Novo Tratamento para Degeneração Macular - Vabysmo (Faricimab)

Neste artigo vamos trazer uma incrível atualização sobre um avanço promissor no tratamento da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). Compartilharemos informações sobre o recente lançamento do medicamento Vabysmo (Faricimab) e sua promissora abordagem de duplo mecanismo de efeito no combate à DMRI.

O Que é Degeneração Macular?

A DMRI é uma condição que afeta a retina, em sua parte mais importante, a mácula, resultando em desgaste e perda progressiva da visão. Existem dois principais tipos de DMRI: seca, de progressão lenta, e exsudativa, mais agressiva e rápida.

Tratamento Tradicional

Por mais de uma década, as injeções intravítreas de antiangiogênicos, como Avastin, Lucentis e Eylea, têm sido a abordagem padrão para tratar a DMRI exsudativa. Embora eficazes, a necessidade de frequentes injeções pode ser desafiadora para os pacientes.

A Chegada do Vabysmo (Faricimab)

Em 2023, surgiu uma nova esperança com o Vabysmo (Faricimab), um medicamento que demonstra resultados promissores. Este medicamento inovador oferece um duplo mecanismo de ação, atacando tanto o VEGF-A quanto a angiopoietina 2.

Resultados Promissores em Estudos Comparativos

Estudos comparativos entre o Vabysmo e o Eylia, a medicação padrão, revelaram resultados equivalentes, e em alguns casos, possivelmente melhores com o uso de Vabysmo. Embora mais estudos sejam necessários, a possibilidade de reduzir a necessidade de tantas injeções é uma perspectiva animadora.

Segurança Comprovada

Diferentemente de medicamentos anteriores, como o Brolucizumabe, que apresentaram efeitos adversos significativos e preocupantes, estudos do Vabysmo mostram alta segurança, sem aumentar significativamente o risco de complicações em relação às medicações mais utilizadas atualmente. Claro que qualquer procedimento médico envolve algum risco, então é sempre necessário conversar e tirar todas as dúvidas com o médico antes do tratamento.

Redução da Necessidade de Injeções

A principal vantagem do Vabysmo reside na potencial redução da frequência de injeções intravítreas. Embora não seja uma cura definitiva, a perspectiva de uma administração menos frequente pode melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes. Devido ao desenho dos estudos publicados até o momento, não é possível afirmar que serão necessárias menos injeções, mas é provável que isto venha a se confirmar em pesquisas futuras.

Chegada no Brasil e Perspectivas Futuras

O Vabysmo já está disponível para uso no Brasil. Aguardamos ansiosamente mais estudos e desenvolvimentos, incluindo a chegada de implantes como o PDS  (que permite recarga da medicação Ranibizumabe a cada 6 meses), que pode proporcionar uma redução adicional na necessidade de injeções.

Conclusão

Em resumo, o Vabysmo oferece uma nova e empolgante abordagem no tratamento da DMRI, proporcionando esperança aos pacientes. Se você tem dúvidas ou gostaria de saber mais sobre este tratamento inovador, entre em contato conosco pelo WhatsApp 51-98118 5252.

Perguntas Frequentes sobre o Vabysmo (Faricimab) no Tratamento da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)

1. O que é Vabysmo e como funciona no tratamento da DMRI?

O Vabysmo, também conhecido como Faricimab, é um medicamento inovador utilizado no tratamento da Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). Ele atua por meio de um duplo mecanismo de efeito, combatendo tanto o VEGF-A quanto a angiopoietina 2. Isso contribui para a redução da progressão da DMRI exsudativa.

2. Como o Vabysmo se compara às medicações tradicionais, como Eylia?

Estudos comparativos entre o Vabysmo e o Eylia, uma medicação padrão para DMRI, mostraram resultados equivalentes, e em alguns casos, possivelmente melhores com o uso do Vabysmo. A promissora eficácia do Vabysmo oferece uma nova perspectiva no tratamento da DMRI.

3. O tratamento com Vabysmo exige a mesma frequência de injeções intravítreas que os tratamentos anteriores?

A grande vantagem do Vabysmo é a possibilidade de reduzir a frequência de injeções intravítreas. Embora não seja uma cura definitiva, a administração menos frequente pode proporcionar maior comodidade para os pacientes, minimizando a necessidade de múltiplas aplicações.

4. Existem efeitos colaterais significativos associados ao uso do Vabysmo?

Até o momento, estudos do Vabysmo têm demonstrado alta segurança, sem aumentar significativamente o risco de complicações em comparação com medicamentos anteriores. No entanto, é sempre aconselhável discutir possíveis efeitos colaterais com seu médico antes de iniciar qualquer tratamento.

5. O Vabysmo já está disponível no Brasil? Como os pacientes podem acessar esse tratamento?

Sim, o Vabysmo já está disponível para uso no Brasil. Pacientes interessados devem consultar com oftalmologista especialista em retina para avaliação e discussão sobre a viabilidade do tratamento com Vabysmo. O acesso à medicação será determinado com base nas necessidades individuais de cada paciente.

Autor:

Dr. Mário Bulla

Cremers 28120

Oftalmologista - Especialista em Retina

Artigo escrito em 2024

bottom of page